Mercado imobiliário 2021: como acompanhar as tendências para o próximo ano

O mercado de imóveis é um dos segmentos que passaram por diversas alterações e adaptações durante a nova realidade pandêmica. Diante de um cenário extremamente novo e repentino, o que podemos esperar para o mercado imobiliário em 2021?

Do trabalho remoto ao uso de tecnologias, como as visitas online, o tour 360º e o uso de aplicativos de gestão imobiliária para as atividades desenvolvidas na área, tanto administrativas quanto financeiras, até a perspectiva de volta do aquecimento da economia, o mercado imobiliário em 2021 tem caminhos para crescer e se reinventar.

Neste artigo, falaremos sobre o cenário do mercado imobiliário 2021, além de abordar as tecnologias, tendências e expectativas para os profissionais da área. Vamos trazer ainda dicas que podem auxiliar a atuação de profissionais no mercado imobiliário para o próximo ano. Acompanhe!

O cenário do mercado imobiliário em 2020

O ano de 2020 começou com altas expectativas para o mercado de imóveis, principalmente após um ano de crescimento como 2019.

Uma pesquisa realizada pela CBIC em 2020 mostrou que o primeiro trimestre do ano teve um aumento de vendas de 26,7% em comparação ao ano anterior.

Porém, não demorou muito para que o mercado perdesse fôlego. Com o avanço do coronavírus no Brasil, as medidas de isolamento e a incerteza em relação aos próximos meses ocasionaram um retrocesso no mercado imobiliário. 

A mesma pesquisa aponta uma queda de 14,8% no número de unidades lançadas no Brasil em comparação ao ano anterior, mostrando os efeitos da crise nas construtoras e a baixa procura por parte dos clientes.

É interessante lembrar que essa baixa não aconteceu de maneira uniforme no Brasil. O Nordeste foi a região com maior retração, com desempenho 56,3% menor em relação a 2019. A segunda região mais afetada foi o Sul, com queda de 29,1%, seguido do Sudeste, com 2,4% menos vendas.

Aceleração digital

Contudo, apesar dos resultados pouco otimistas, podemos tirar um benefício desse período difícil para o setor imobiliário: a transformação digital.

Para os corretores, o trabalho remoto, por meio do home office, ganhou força e mostrou que é possível manter um fluxo de vendas, mesmo que a distância, fazendo uso de softwares plataformas que organizam e otimizam a rotina de trabalho.

Além disso, as empresas passaram a investir em sitesmais modernos e a ocupar os meios digitais, abrindo um novo canal de vendas e expandindo a presença do negócio.

O público também mudou a forma de consumo e passou a experimentar novas jornadas de compra.

Um levantamento feito pelo Grupo ZAP, realizado com pessoas que estavam à procura de imóveis para comprar ou alugar, mostrou que 38% delas estavam abertas à ideia de visitação online, feita a partir de plataformas de vídeos, e 37% aceitariam fazer um tour 360º em imóveis.

Qual o novo normal do ramo imobiliário?

Ainda que diversas mudanças tenham acontecido devido ao cenário pandêmico, a promessa é de que muitas delas se mantenham e se tornem o novo normal do ramo imobiliário.

As plataformas de gestão, como o CRM e o Office da Vista, por exemplo, ajudaram no desenvolvimento das atividades administrativas e financeiras, sendo grandes parceiras para profissionais autônomos e grandes imobiliárias.

Ainda que essas soluções já existissem na rotina das imobiliárias, com a pandemia elas se mostraram essenciais para o dia a dia.

Outro ponto é que o relacionamento com o cliente e o atendimento onlinesigam fortes. É claro que o digital não deve ser a via principal, mas é uma forma de estabelecer o primeiro contato e alcançar maior público, principalmente nos dias de hoje.

O que esperar do setor imobiliário em 2021?

As expectativas são altas para o mercado imobiliário em 2021 e isso por dois motivos: a diminuição da taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia) e o lançamento do novo programa do governo federal, o Casa Verde e Amarela.

Atualmente, a taxa Selic está em 2% ao ano, sendo a menor taxa da história do país. O Comitê de Política Monetária (Copom) e o Banco Central (BC) reduziram essas taxas justamente para tentar frear a recessão no mercado imobiliário.

Ainda que não seja possível garantir que a taxa permaneça neste patamar ao longo de todo o ano de 2021, a expectativa para o mercado imobiliário em 2021 é que não tenha uma grande alta, permanecendo por volta dos 2,75% ao ano. Portanto, corretores, esse é o melhor momento para vender imóveis.

Outro incentivo é o programa Casa Verde e Amarela, que entra como substituto do Minha Casa Minha Vida. Nesse novo formato, o foco está em três frentes: financiamento imobiliário, regularização fundiária e melhoria habitacional, possibilitando também a reforma e ampliação de casas.

Perfil de imóveis também mudou

Além das mudanças estruturais, uma notável herança desse período de isolamento são os estilos de imóveis.

Com tanto tempo de reclusão, as pessoas passaram a valorizar ainda mais a estrutura que um condomínio e a planta de um apartamento podem oferecer.

Não será incomum que as buscas por condomínios completos aumentem, bem como por prédios próximos a áreas verdes e mais distantes dos grandes centros, que são extremamente barulhentos, visto que grande parte das empresas corporativas adotaram o home office até o fim do estado de pandemia (que pode durar até o segundo semestre de 2021) ou permanentemente.

Isso será notado especialmente em famílias com maior poder aquisitivo, que irão priorizar mais conforto ainda em seus lares.

LGPD ficará mais rígida

LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) passou a valer em agosto de 2020 e a expectativa é que em 2021 fique ainda mais em evidência, principalmente no setor imobiliário, que circula um alto volume de dados.

A nova lei solicita que as empresas sejam mais claras quanto ao uso de dados dos seus clientes. Agora, será necessário informar quais dados serão utilizados, por quem e em quais circunstâncias, sendo preciso também que o cliente autorize a utilização.

Assim, as empresas devem se preparar aprimorando processos internos no uso de dados, pensar na capacitação de toda a equipe e realizar o mapeamento dessas informações.

Além de todos esses pontos, a tecnologia será uma grande aposta para o mercado imobiliário em 2021.

Quais serão as principais tecnologias utilizadas no mercado imobiliário em 2021

As ferramentas onlinetêm ajudado o mercado imobiliário em 2020 e estarão ainda mais fortes em 2021.

Confira algumas das tecnologias para o mercado imobiliário 2021 que auxiliarão a sua imobiliária no cenário pós-pandemia.

CRM

As ferramentas de CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente), que já eram tendência nas imobiliárias antes do período da pandemia, auxiliaram ainda mais no momento de isolamento social.

As práticas permitem que o profissional tenha maior controle sobre o seu relacionamento com o cliente, aumente a produtividade de vendas, permita uma visão ampla e geral do negócio, vendo forças e fraquezas, além de ajudar no fortalecimento da sua marca no mercado.

No mercado imobiliário 2021, o CRM pretende ser um grande aliado para aumentar as vendas e solidificar os processos comerciais das equipes.

Visitação virtual 360°

Uma das ferramentas que mais auxiliaram em 2020 e pode ajudar no cenário do mercado imobiliário 2021 é a visitação virtual 360°. Essa técnica permite que, virtualmente, a pessoa visite o imóvel e tenha uma visão completa, em 360°, se aproximando ainda mais da visitação real.

Essa ferramenta é benéfica em diversos sentidos. Além de otimizar o tempo do corretor e do cliente, que pode “visitar” o apartamento em qualquer horário do dia, também evita desperdício de recursos com transporte.

Lançamentos e vendas online

Os lançamentos virtuais foram uma grande muleta para o mercado imobiliário de 2020. Com a ausência dos estandes físicos, os clientes puderam participar de lançamentos e feirões de forma totalmente online e dar sequência aos planos de adquirir um imóvel.

Em 2021, mesmo com a flexibilização das medidas de isolamento, os lançamentos virtuais devem continuar em simultâneo com os físicos, conquistando tanto os clientes que preferem ter contato pessoal no momento de realizar a compra quanto aqueles que não podem comparecer presencialmente.

Marketing digital e SEO no ramo imobiliário

Outras ferramentas que automatizam o trabalho e as funções do setor são as de marketing digital e o SEO para imobiliárias. Diante do cenário de distanciamento social, as práticas de busca e a conquista de clientes online ganharam ainda mais projeção.

inbound marketing promete ser a grande promessa para imobiliárias, que irão investir em estratégias cada vez mais rebuscadas no mundo online. Anúncios pagos, conteúdos em motores de busca, sites mais ágeis e webinars estarão mais populares.

Até porque, com as ferramentas de SEO e segmentação, é possível otimizar recursos financeiros, fazendo uma propaganda mais assertiva e mais econômica, se comparada à publicidade nos meios físicos.

Mercado imobiliário 2021: acompanhe as mudanças

O mercado imobiliário 2021 já está na porta, e as surpresas trazidas pelo ano de 2020 ensinaram aos profissionais do setor que é muito importante estar preparado para mudanças repentinas.

Além disso, todos os dias as tecnologias se renovam e surgem outras mais atualizadas. Para ser um bom profissional do ramo imobiliário, é importante estar atento a essas mudanças e saber como usá-las a seu favor.

18/01/2021 17:11

276 total views, 1 hoje